A capital da França é perfeita para conhecer caminhando.Conheça o novo bairro hipster e as novidades na torre e em Versailles.

A Cidade Luz não é apenas uma das capitais mais bonitas da Europa. Devido ao seu tamanho reduzido, Paris é perfeita também para ser explorada a pé.

Caminhar pelas ruas pedregosas do panorâmico bairro de Montmartre ou pelo histórico Marais com suas butiques chiques são ótimos programas por si só.

Veja a seguir dicas de programas para explorar o melhor da cidade.

Passear por áreas livres de carros

Nova passarela de pedestres em Paris, na margem esquerda do Rio Sena (Foto: Charles Platiau/Reuters)

Nova passarela de pedestres em Paris, na margem esquerda do Rio Sena (Foto: Charles Platiau/Reuters)

 

Para encorajar os parisienses a caminhar e para reduzir a poluição do ar, áreas peatonais livres de carros estão sendo criadas em toda a cidade, especialmente perto do Rio Sena.

Dá para fazer caminhadas na margem esquerda do rio, que recebeu em 2013 um grande setor para pedestres que vai do Museu d’Orsay até o popular Museu Quai Branly, perto da Torre Eiffel.

A partir de 2016, será possível andar em uma faixa de 3 km livre de carros também na margem direita do Sena – começando depois da catedral de Notre-Dame e terminando no Jardin des Tuileries.

Piquenique com queijo e vinho

Casal faz piquenique em Paris (Foto: Oh Paris/Creative Commons)

Casal faz piquenique em Paris (Foto: Oh Paris/Creative Commons)

 

Para quem quiser economizar na comida, dá para esquecer os restaurantes caros e recorrer a estabelecimentos de comida artesanal onde é possível comprar queijos e vinhos deliciosos para um piquenique.

Paris é famosa por seus belos parques e jardins. É uma ótima pedida sentar, conversar, comer um queijo Camembert e tomar um pouco de vinho Bourdeaux no Parc Monceau, no 17º distrito.

Também são populares os piqueniques no Buttes Chaumont no 19º distrito – considerado o “Central Park” de Paris. Lá dentro, o bar Rosa Bonheur é um hit entre os parisienses.

Dois outros lugares típicos para comer informalmente são a praça monumental mais antiga de Paris, a Place des Vosges, e os jardins do majestoso Museu do Louvre.

Grafites no bairro hipster

 

france-travel-trip-es_fran-

Menina passeia no bairro do Pantin, em Paris; cheio de armazéns abandonados cobertos por grafites, local no subúrbio é considerado o bairro mais hipster do momento na capital francesa (Foto: Christophe Ena/AP)

 

Quem quiser dar um tempo na beleza clássica de Paris pode ir até o subúrbio de Pantin. Com seus armazéns abandonados cobertos de grafites, que foram apropriados por artistas e galerias, ele se tornou o bairro mais “hipster” de Paris.

De bike pela Cidade Luz
Para passear, é muito divertido usar o sistema de aluguel gratuito de bicicletas “Velibe”. As estações de bikes ficam distribuídas pela cidade – e o único que é preciso fazer é registrar o número do cartão de credito, apenas como garantia em caso de não retorno das bicicletas.

Para ver gente
A famosa rua peatonal Rue Montorgueil, perto do metrô Etienne Marcel, é um lugar perfeito para se sentar e ver gente.

O lugar é tão popular entre fashionistas e hipsters quanto entre rainhas – a Patisserie Stohrer é a favorita da rainha Elizabeth, da Grã Bretanha.

Novidade em Versailles

 

A fonte 'Les belles danses', de Jean-Michel Othoniel, no palácio de Versailles, na França (Foto: Christophe Ena/AP)

A fonte ‘Les belles danses’, de Jean-Michel Othoniel, no palácio de Versailles, na França (Foto: Christophe Ena/AP)

 

Nesta semana, o Palácio de Versalhes abriu o renovado Bosquet du Théâtre d’Eau (bosque do teatro d’água), para celebrar os 300 anos da morte de seu fundador, o Rei Luís XIV.

A nova área verde tem três fontes. Uma delas é a bonita “Les Belles Danses” (as belas dançarinas), do artista francês Jean-Michel Othoniel.

Chão de vidro na Torre

2014-10-06t151143z_17711010

Uma visita a Paris não seria completa sem uma ida à Torre Eiffel. O monumento de 324 metros recebeu uma revitalização no último outono, na comemoração de seu 125º aniversário – e agora tem um chão transparente de vidro no primeiro andar.

 

Fonte: www.g1.com.br