Quem nos guia nesta viagem é Eduardo Shimahara, um brasileiro de 42 anos que já correu o mundo e tem uma certeza:

1. Cape Town é a cidade mais bonita do mundo

Depois de ter vivido em 4 países diferentes – Brasil, Estados Unidos, França e finalmente África do Sul – e ter viajado pelos 5 continentes, incluindo passagens pelo Hawai, Bali, San Francisco, Paris, Roma, Veneza, New York, Florença, Barcelona, Madrid, Los Angeles, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Paraty, Bonaire, Anguila, Curaçao, Saint Martin, entre tantas outras, posso dizer com tranquilidade que Cape Town é a cidade mais bonita do mundo. Juntando mar, montanha, uma infra-estrutura de primeiro mundo além de uma incrível diversidade cultural. Se você não acredita em mim, talvez valha a pena ver as opiniões da TIMES (aqui) e também do New York Times (aqui) que apontam Cape Town como o destino número 1 para 2014 no mundo.

CapeTown2

A partir das praias de Table View tem se uma vista das principais montanhas de Cape Town – Devil’s Peak – Table Mountain e Lion’s Head

2. Diversidade

Com o fim do infame regime do Apartheid, 11 línguas foram reconhecidas como oficiais na África do Sul. É o país com maior numero de línguas oficiais em todo o planeta. O próprio hino da África do Sul é cantado em varias delas, como o inglês, o Afrikaans, Zulu, Sesotho e o isiXhosa, sendo esta última a língua natal de um dos maiores líderes que já pisaram na Terra: Nelson Rolihlahla Mandela, do clã Madiba. O isiXhosa é uma língua tribal, reconhecida facilmente pelos 3 diferentes cliques feitos com a língua para pronunciar o “q”, o “c” e o “x”. Obviamente, junto com as línguas, as culturas ainda estão preservadas (imagine se no Brasil você pudesse falar Tupi, Xavante, Tapuia, Arara, Caiapó, entre tantas outras). A África do Sul ainda está longe de ser a Rainbow Nation [“Nação Arco-Íris”], como Mandela sonhou, mas sem dúvida é um caldeirão cultural.

3. Educação

Em Cape Town estão as duas melhores universidade do país, a Universidade de Cape Town e a Universidade de Stellenbosch. Se você está acostumado com os campus verticais feitos puramente de concreto, que a maioria das Universidades Brasileiras oferecem, esqueça. Os campus das Universidades em Cape Town não deixam nada a desejar com relação a Harvard, Cambridge ou ainda Sorbonne (Paris V). Alamedas rodeadas de carvalhos centenários ou ainda enormes campos e gramados verdes dão o tom para as Universidades sul-africanas. Se você for ainda um pouco mais ousado, pode optar por opções de Mestrado ou Doutorado Transdisciplinar em instituições como oSustainability Institute – ligado a Universidade de Stellenbosch – onde todos os dias iniciam com uma roda onde algum aluno lê uma poesia. Seguem atividades nas hortas onde os alunos devem trabalhar todos os dias para, finalmente, terem palestras com diversos professores de diversas partes do continente africano, fazendo trabalhos em grupo ou ainda escrevendo textos individuais sobre o aprendizado.

Se Mestrado e Doutorado não são sua praia e você está mais preocupado com a educação de seus filhos, Cape Town tem escolas incríveis, como por exemplo a escola Waldorf de Constantia. Além de seguir os ensinamentos de Rudolph Steiner, o campus da escola tem uma área verde imensa, de onde faz parte uma floresta onde alunos acampam para imersões temáticas. Além disso, a escola recebe toda sexta-feira uma feira orgânica e biodinâmica onde você pode comprar produtos direto dos agricultores.

4. Vinho, cerveja e comida

Então você acha que França é a terra do vinho e Bélgica a da cerveja? Sem querer provocar você demais, pelo menos no que diz respeito a vinhos franceses e cervejas belgas, eu vivi na França por dois anos só bebendo vinhos nacionais e sempre tive acesso a partir dali a incríveis cervejas belgas. Obviamente que os dois continuam sendo maravilhosos, mas você se arriscaria a dizer por exemplo, quantos rótulos de vinho a África do Sul produz? Te dou alguns segundos antes de te dar a resposta. Mais de 7 mil diferentes rótulos são produzidos na África do Sul e a esmagadora maioria se concentra em Western Cape, a província ou estado de onde Cape Town faz parte. Infelizmente, vinhos extremamente baratos como o Wolf Trap (Boekenhoutskloof) são vendidos no Brasil a cerca de R$100,00 e custam em Cape Town, no máximo, R$ 10,00, e estou falando de um vinho de dia a dia por aqui. Se você quiser ir direto para os melhores, vai gastar cerca de R$80,00 pela garrafa e te garanto, não deixarão nada a dever para os melhores Borgonhas ou Bordeaux que você já tomou. E por falar em tomar, cervejas em Cape Town também são incríveis. Passando pela Bone Crusher da região de Darling (a cerca de 1 hora de Cape Town) indo para uma degustação numa das cervejarias mais antigas do país e que capta água direto de um rio que desce de uma das montanhas de Cape Town.

E por falar em beber, que tal acompanhar com uma refeição criada a partir da fusão entre especiarias do Oriente e ingredientes locais? Estamos falando de uma das centenas de tipos de gastronomia de Cape Town, a cozinha do Cape Malay, cujo coração é o bairro de BoKaap, que mistura influências orientais e outros ingredientes para criar algo absolutamente único no mundo. E se você é fã de sorvete, saiba que os italianos acabaram de colocar Cape Town no topo do mundo (excluindo a Itália) no que diz respeito a sorvetes (confira aqui).

As vinhas dormem em Wellington uma das regiões de produção de vinho próximas a Cape Town

As vinhas dormem em Wellington uma das regiões de produção de vinho próximas a Cape Town

 

Potjiekos – um caldeirão de ferro diretamente sobre o fogo – uma forma de cozinhar criada pelos colonos e que se preserva até hoje

Potjiekos – um caldeirão de ferro diretamente sobre o fogo – uma forma de cozinhar criada pelos colonos e que se preserva até hoje

 

5. Vida outdoor

Uma das estradas mais bonitas do planeta – Chapman’s Peak Drive – está em Cape Town. Montanhas com diversas trilhas de caminhada podem ser acessadas facilmente a 5 minutos de carro do centro da cidade ou talvez, 10 minutos usando o transporte publico MyCity. As trilhas são muito bem sinalizadas e têm os mais diferentes níveis. É possível caminhar até o topo do cartão postal da cidade – a Table Mountain – em cerca de 2 horas de ida e mais 2 horas de volta. Lions Head, outra montanha da cidade oferece uma vista absolutamente impagável e pode ser acessada através de uma trilha de cerca de 1 hora e meia mesmo para o caminhante menos experiente. Durante a Lua Cheia, diversas atividades convidam os Capetonianos a sair de casa, como por exemplo, uma pedalada que passa pelos principais pontos turísticos, chamada de #MoonLightMass. Além disso, diversas atividades acontecem na Lua Cheia como a caminhada pela Praia de Muizemberg.

Você só fica em casa se quiser. Surf, mergulho, vinícolas, picnics, trilhas em montanha, pedaladas, sao atividades que fazem parte do dia-a-dia do Capetoniano.

A passarela Boomslang recém-construída no lindo jardim Botânico de Kirstenbosch

A passarela Boomslang recém-construída no lindo jardim Botânico de Kirstenbosch

 

6. Preços

O brasileiro que chega a Cape Town recebe o primeiro choque na hora de pagar a conta de um restaurante muito bacana onde ele comeu entrada, prato principal, sobremesa e tomou vinho, e descobriu que a conta não ultrapassa R$50,00 por pessoa. Sim, é isso mesmo. O melhor dos mundos seria trabalhar em São Paulo regado a salários paulistas e viver em Cape Town. Com a moeda sul-africana – o Rand – valendo 20% do Real, é possível por exemplo, comprar uma mansão de 5 quartos num dos melhores bairros da cidade por cerca de 700 mil reais, o mesmo preço de um apartamento de um quarto na Vila Madalena em Sampa.

Obviamente se ganha muito menos na África do Sul, mas o dinheiro Brasileiro ainda vale muito se comparado com a moeda local e brasileiros portanto, são comummente vistos comemorando em restaurantes, regados a MCC – Methode Cape Classique, que é o vinho espumante local e cheios de sacolas de artesanato típico africano.

A reserva Addo perto de Port Elizabeth na Garden Route

A reserva Addo perto de Port Elizabeth na Garden Route

 

7. Design

Não é a toa que Cape Town foi eleita a Design Capital of the World 2014. A fusão de culturas europeias e tribais resultou em algo absolutamente único. A Design Capital of The World está colocando luz sobre literalmente centenas de projetos espalhados pela cidade, que vão desde a micro-agricultura em favelas até projetos de galerias de arte que aproveitam a estrutura de silos abandonados. Artistas capazes de colher esta herança tribal e fundir com design de origem europeu acabam conseguindo um lugar único no mercado, como é o caso das mulheres da Beloved Beadwork – que expõe hoje peças em diversos lugares da Europa. O design sul-africano porém, não se limita a peças de bijouteria, muito pelo contrário. Soluções para incríveis hortas urbanas, como é o caso da fazenda urbana de Oranjezicht, sem dúvida, uma das hortas urbanas mais bonitas do mundo. 

8. Isso é África

Cape Town é um porto relativamente seguro – digo relativamente porque, embora se pareça com uma cidade europeia, a cidade é cercada de Townships, que é o nome dado as favelas sul-africanas e os índices de violência não são nada agradáveis. Nada diferente se poderia esperar de um país com tamanha diferença social.

A partir de Cape Town, é possível fazer diferentes rotas absolutamente incríveis sem sair do país, como é o caso da Rota 62 que corta uma parte de um dos desertos sul-africanos, conhecidos como Klein Karoo (pequeno Karoo) e depois voltando pelo litoral, na conhecida Garden Route, passando por alguns dos melhores pontos de surfe do planeta, como Jeffrey’s Bay, onde ondas de 2 a 6 metros entubam para o delírio de surfistas do mundo inteiro, ou ainda pegando a estrada para montanhas isoladas e lindíssimas em Drakensberg. Para os mais aventureiros, é possível alugar um Land Rover equipado com uma barraca no teto e viajar por lugares absolutamente imperdíveis, como o Delta do Rio Okavango, pelo deserto da Namíbia ou ainda acordar ao som de rugidos de leões nas planícies de Botswana. Cape Town é só o começo.

A praia de Boulders Beach a cerca de 40km de Cape Town é fechada para o público – ali vive uma colônia de Spheniscus demersus – Jackass Penguins

A praia de Boulders Beach a cerca de 40km de Cape Town é fechada para o público – ali vive uma colônia de Spheniscus demersus – Jackass Penguins

 

CapeTown1

A caminho do Cabo da Boa Esperança – cape of Good Hope – é possível ver animais selvagens perto da estrada

 

9. AfrikaBurn

Talvez você tenha ouvido falar do Burning Man [se não ouviu, confere aqui], festival que acontece todos os anos no deserto de Nevada nos Estados Unidos. O Burning Man literalmente monta, anualmente, uma cidade no meio do deserto, a Black Rock City. O festival junta música, diferentes expressões artísticas e uma cultura de compartilhamento (não existe nada a ser vendido no Burning Man) e sustentabilidade (o deserto deve ser deixado exatamente como você o encontrou). Bem, a África realiza todo ano algo que foi inspirado no Burning Man e recebe o nome de AfrikaBurn. Ali, num dos desertos africanos, 9 mil pessoas se reúnem para festejar, chorar, viver uma aventura absolutamente única sob um dos céus mais claros no planeta.

O AfrikaBurn é só um exemplo dos mais diversos festivais que acontecem no país. Desde os familiares concertos no jardim botânico de Kirstenbosch em Cape Town, até uma caminhada pelo mar que junta limpeza das praias e música no Walking the Daisies. Se você ainda não está feliz com isso, pode ir pro Mali, Marrocos ou Swazilandia!

Lilith and The Garden of Eden, uma das obras no AfrikaBurn 2014 - Foto © Nathan Daniel

Lilith and The Garden of Eden, uma das obras no AfrikaBurn 2014 – Foto © Nathan Daniel

 

10. Clima

O verão em Cape Town tem temperaturas que variam dos 25ºC aos 32ºC. O verão é uma época extremamente quente e seca. As suas chances de pegar um dia de céu incrivelmente azul e quente durante o verão, devem ser maiores que 90%. Durante o verão a vida outdoor está no seu pico. Você pode ir surfar, caminhar nas montanhas, fazer um picnic numa vinícola, tudo num mesmo fim de semana. O inverno, porém, tem temperaturas de ate 8ºC e o topo das montanhas chega a acumular neve. É tempo de beber um bom vinho, comprado direto no produtor e ainda frequentar os mais incríveis restaurantes que o país tem.

Os concertos de música que acontecem no Jardim Botânico de Kirstenbosch durante o verão

Os concertos de música que acontecem no Jardim Botânico de Kirstenbosch durante o verão

 

 

fonte: www.nomadesdigitais.com