O mundo é um lugar repleto de belezas naturais, algumas delas capazes de nos tirar o fôlego e de se tornarem verdadeiros sonhos de viagem. Mas ele não para de mudar, de crescer e, em alguns casos, de se deteriorar, seja por ação do homem, seja por capricho da natureza, mais forte e poderosa que qualquer animal. Essas mudanças nos lembram duas coisas – 1) vale a pena fazer nossa parte e cuidar do planeta; 2) é importante aproveitar o que o mundo tem para nos dar hoje e não deixar a vida para depois.

Um pouco por todo o planeta, começam se sentindo os estragos provocados pelas mudanças climáticas e pela subida dos mares, que ameaçam principalmente ilhas, cidades ou regiões cercadas por água. Se você quiser conhecer alguns dos lugares listados abaixo (e todos eles merecem uma visita), é bom correr – pode ser que, infelizmente, daqui a algumas décadas, esses lugares não estejam mais disponíveis nos roteiros de viagem.

1. Veneza, Itália

Começamos por uma das cidades mais românticas do mundo, cenário de grandes paixões e capaz de encantar até os mais insensíveis. Tem cerca de 270 mil habitantes e recebe mais de 60 mil turistas por dias, mas vem afundando a uma velocidade de 2 milímetros por ano. Estima-se que, até o fim do século, Veneza pode mesmo ficar submersa.

Claro1

Foto © efilpera

2. Maldivas

Se o nível dos oceanos continuar a subir, as ilhas Maldivas podem deixar de receber os milhares de turistas que recebem hoje. Nos próximos 100 anos, o risco é muito grande e o governo já começou comprando terras em outros países, para acautelar os problemas que as famílias podem vir a enfrentar.

Claro2

 

Foto © Maldivas.net 

3. Ilhas Seychelles

Mais um destino turístico por excelência, esta coleção de 115 ilhas, verdadeiro paraíso tropical, está ameaçada por conta da erosão nas praias, depois de uma grande barreira de corais ter sido devastada.

Claro3

Foto © Olivier Roux

 

4. Alpes

Uma das regiões de ski mais famosas do mundo, os Alpes ficam numa altitude muito baixa, o que os deixa sucetíveis à mudanças climáticas. Em média, 3% do gelo glacial da região desaparece por ano, o que faz com que especialistas acreditem que as geleiras possam desaparecer totalmente até 2050.

Claro4

 

Foto © jd.echenard

5. Roterdã, Holanda

Nem só ilhas sofrem com o aumento do nível do mar. Roterdã, um espaço urbano na Holanda, fica localizado ao lado do Mar do Norte, o que é ótimo pra economia local e para o fluxo de negócios no porto da cidade, mas que obriga a uma dura batalha contra a água, já que um terço do espaço holandês fica abaixo do nível do mar. Apesar das excelentes infraestruturas do país, modernas e sofisticadas, a Holanda poderá ser uma das principais vítimas de inundações no próximo século.

Claro9

 

Foto © Dennis Burger

6. Rio Nilo, África

O segundo rio mais extenso do mundo, o Nilo desagua no mar Mediterrâneo e é uma das regiões mais ameaçadas do planeta pelo aumento do nível do mar, capaz de destruir grande parte da produção agrícola local e afetar milhões de pessoas.

Claro8

Foto © beccacantpark

7. Grande barreira de corais Australiana

A maior barreira de corais do mundo está sendo ameaçada por condições ambientais extremas, como o aumento da temperatura dos oceanos e a poluição. Há estudos que apontam para que ela possa não existir mais nos próximos 100 anos.

 

Claro

Foto © Mike McCoy

8. Mar Morto

O Mar Morto é famoso por sua história mas, nos últimos 40 anos, já diminuiu de volume em um terço. Estudiosos acreditam que ele poderia desaparecer num curto período de 50 anos, devido ao fato que países vizinhos estão drenando a água do Rio Jordão, que alimenta o Mar Morto.

Claro5

Foto © alessandra di renzo

9. Parque Nacional Glacier, Montana

O parque já teve mais de 150 geleiras nos seus arredores, mas só sobraram 25. As rápidas mudanças climáticas poderiam baixar o número para zero até 2030, como alguns pesquisadores acreditam.

 

Claro6

Foto © AlbertaScrambler

10. Ilhas Magdalen, Canadá

Com praias de areia cortadas por escarpas, o local, parte da província do Quebec, Canadá, é atingido por ventos fortes o que faz com que a costa sofra uma erosão de 40 polegadas por ano. Além disso, a barreira de gelo que protege a região está derretendo rápido, o que deixaria as ilhas vulneráveis ao ventos fortes, podendo causar seu desaparecimento nos próximos 75 anos.

Claro7

Foto © leongu66

 

fonte: www.hypeness.com.br